sábado, 15 de março de 2014

Uma mulher chamada Abigail

Uma mulher chamada Abigail

Caros leitores, graça e paz a todos!

Toda vez que leio a Bíblia no livro de Samuel e me encontro com essa mulher maravilhosa e ímpar chamada Abigail, fico igualmente fascinado por ver nessa grande mulher virtudes e qualidades ultimamente em estado de extinção. Abigail é uma mulher de coração generoso e de uma personalidade extremamente cativante, é realmente um belíssimo exemplo de mulher.
Boa leitura!

“E era o nome deste homem Nabal, e o nome de sua mulher Abigail; e era a mulher de bom entendimento e formosa; porém o homem era duro, e maligno nas obras, e era da casa de Calebe”. 1 Samuel 25:3


Abigail encontra Davi


A historia de Abigail foi registrada exatamente num período de muito conflito e autoritarismo, um período em que o machismo era extremamente predominante e não havia espaço para as mulheres. A brilhante historia dessa mulher aconteceu por volta do ano 1.000 A/C (antes de Cristo) em um ambiente conturbado e conflituoso.
Em Israel o clima político passava por constantes turbulências interna de um lado o rei Saul sob o pretexto de combater o inimigo do reino, e do outro, Davi que fugia para sobreviver e esperar o tempo certo para ser aclamado rei desse reino. 
Depois que o Senhor Deus ordenou que o profeta Samuel ungisse Davi como rei de Israel, o rei Saul não lhe deu trégua e o buscou em todos os lugares, e para se esconder Davi e seus 600 homens, guerreiros, passaram por um período de constante movimentação fugindo e se escondendo o tempo todo. Os esconderijos de Davi eram praticamente na região desértica as margens do Mar Morto, entre esses lugares destaco: En-Gedi, o deserto de Parã, o deserto de Zife, o deserto de Maon, e aldeias como o Carmel (Carmelo), e Ziclague.
*Detalhe: Carmel ou Carmelo, não tem nada haver com o monte Carmelo, que fica 323 km ao norte de Israel próximo ao porto de Haifa, o Carmelo onde Davi peregrinava era uma pequena aldeia ao sul de Hebron, herança de Calebe, e quem ali vivia era denominado: carmelitas. “E Davi permaneceu no deserto, nos lugares fortes, e ficou em um monte no deserto de Zife; e Saul o buscava todos os dias, porém Deus não o entregou na sua mão”. 1 Samuel 23:14

Nabal, o sem juízo.

Nessa região desértica, na cidade de Maon havia um homem muito rico e poderoso chamado Nabal, naquele lugar todos sabiam das atrocidades praticadas por esse fazendeiro que também possuía terras na aldeia do Carmel e um notável rebanho de quatro mil ovelhas e cabras.
As Escrituras Sagradas apresenta Nabal que em hebraico significa “sem juízo”, como um homem duro e maligno nas obras, soberbo, arrogante e completamente perverso. Aconteceu que por ocasião da TOSQUIA de suas ovelhas, Nabal foi ao vilarejo do Carmel recolher a sua grande produção de lã e como pretendia passar alguns dias tosquiando, levou uma abundancia de víveres para si e seus funcionários. Quando Davi soube desses relatos imediatamente enviou 10 jovens em seu nome pedindo um pouco de alimento ou de lã, qualquer coisa, qualquer ajuda seria bem vinda. 
Tenho certeza que Davi e seus homens esperavam receber alguma ajuda de Nabal, até porque Davi estava sempre naquela região e nunca agrediu um servo ou roubou uma só ovelha daquele fazendeiro, e mesmo naquela situação adversa jamais ofendeu ou causou dano algum aos pastores ou ao rebanho. A presença constante daqueles homens guerreiros na aldeia do Carmel, de certa forma era uma garantia e proteção aos servos e rebanho de Nabal, e por isso acreditavam que receberiam alguma ajuda daquele homem rico, mas, para a surpresa e fúria de Davi, o louco Nabal não só negou a ajuda, como também o desprezou e o esnobou. “E Nabal respondeu aos criados de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos servos há hoje, que fogem ao seu senhor”. 1 Samuel 25:10. Nabal demonstrou que não tinha nenhuma consideração a Davi e ignorando qualquer reação do guerreiro “fugitivo”, continuou dizendo: “Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores, e o daria a homens que eu não sei donde vêm”? 1 Samuel 25:11. Pronto, a confusão estava feita!
Por causa da arrogância de Nabal muitos inocentes e que não concordavam com suas atitudes estavam prestes a morrerem. Em algum lugar próximo dali os 10 jovens contaram a Davi todo deboche que aquele fazendeiro fez do seu nome, falaram de sua arrogância e da falta de respeito ou consideração por Davi e seus homens.  
Tomado pela fúria e o ódio, Davi ordenou que os seus homens cingissem suas espadas e se preparassem para uma carnificina na casa de Nabal, e para seus guerreiros fez um juramento, prometendo matar a todos, inclusive as crianças. “Assim faça Deus aos inimigos de Davi, e outro tanto, se eu deixar até amanhã de tudo o que tem até mesmo um menino”. 1 Samuel 25:22.
Como podemos ver, o pavio da bomba estava acesso e na iminência de estourar. Alguém precisava com urgência apagar o pavio, aplacar a fúria de Davi, ou todos morreriam.  


É aqui que surgi Abigail.

Abigail que em hebraico significa “meu pai é alegria”, é apresentada nas Escrituras Sagradas como uma mulher de bom entendimento e formosa, uma mulher rica, discreta e graciosa. Mas, quando começo a meditar no dia-dia daquela mulher com seu marido, chego a conclusão de que a maior formosura de Abigail estava no seu interior, na sua personalidade cativante. 
“Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus”. 1 Pedro 3:4.
Abigail não sabia o que estava acontecendo, pois não estava presente quando os 10 jovens enviados por Davi foram até Nabal. Porem, temendo o pior e sabendo que pouco tempo lhes restavam, um dos servos de Nabal foi à procura de Abigail e lhe falou tudo o que tinha acontecido naquela casa. O servo lhe contou como seu senhor desprezou e ignorou as palavras de Davi, e depois de se negar ajuda-lo, ainda escarneceu de seu o nome.
Ao contrário de Nabal, Abigail era uma pessoa acessível, muito atenciosa e amiga, e essas características facilitaram a aproximação daquele servo que detalhou a insanidade de seu patrão a sua senhora. Ao saber da loucura que seu marido tinha cometido, Abigail organizou uma comitiva com víveres em abundância e saiu ao encontro de Davi a fim de aplacar sua fúria e salvar a sua casa da espada. A historia dessa mulher é muito importante por sua inteligência e habilidades digna de um notável diplomata, com certeza um grande exemplo a ser seguido, visto que, com sabedoria e prudência, ela foi ao encontro de Davi com mulas carregadas de alimentos e o coração cheio de esperança, com certeza clamando a todo instante ao Deus de Israel por misericórdia e socorro.
Quem sabe dizia:

-Oh Senhor Javé, Altíssimo e Soberano Senhor, peço que acalme o coração de Davi teu servo e dos homens que com ele estão, peço Senhor que poupe minha casa e que o sangue inocente não seja derramado. Meu Deus, por favor, me ajuda, nos socorre, que a tua serva que a te clama, ache graça aos olhos de teu servo Davi e perdoa a minha transgressão. Amém!

Abigail entendia que aquela era uma situação de vida ou morte, e extremamente urgente, e perder tempo com o néscio de seu marido não adiantaria nada, pois, aquele homem era arrogante e prepotente, e mesmo sabendo que Davi estava ao seu encontro, Nabal no auge de seu orgulho, jamais pensou na possibilidade de voltar atrás ou se humilhar a Davi.

O encontro.

Quando Abigail avistou Davi e seus guerreiros, se antecipou com confiança no Senhor Deus e prostrada com o rosto em terra, agiu com sabedoria impressionante.

1* Ela se prostrou sobre o seu rosto diante de Davi em claro sinal de reverencia, numa atitude de completa humilhação. Fico imaginando Davi ao ver aquela linda mulher juntamente com sua comitiva carregada de víveres, prostrada diante dele, desarmada e indefesa. É pra amolecer o coração e confundir a mente de qualquer um. 
“Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e prostrou-se sobre o seu rosto diante de Davi, e se inclinou à terra”. 1 Samuel 25:23

2* Prostrada, Abigail se lança aos pés de Davi implorando ao menos uma oportunidade de lhe falar e quando percebe que tem essa oportunidade, com muita sabedoria e coragem ela assume toda culpa e responsabilidade por tudo aquilo que transtornou e ascendeu a fúria de Davi. 
“Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus”. Mateus 5:9

3* Ao assumir o pecado de Nabal, Abigail se apresenta a Davi como “holocausto”, um verdadeiro "sacrifício pacifico" (Levítico 3),  se sacrificando não só por seu louco marido, mas, também por todos os seus servos e servas. Com essa atitude ela vai aos poucos desviando e apaziguando a fúria de Davi sobre de Nabal e se colocar de vez no alvo.
 “E lançou-se a seus pés, e disse: Ah, senhor meu, minha seja a transgressão; deixa, pois, falar a tua serva aos teus ouvidos, e ouve as palavras da tua serva”. 1 Samuel 25:24

4* Ao desqualificar Nabal, ela agora mostra a Davi que não vale a pena se manchar com o sangue dos inocentes por causa de seu marido que é reconhecido por “filho de belial” e sem juízo. A maneira como Abigail age é impressionante, é como se ela quisesse dizer: “olha Davi, esqueça Nabal, a culpa é minha e eu estou aqui diante de ti me humilhando e reconhecendo o pecado”. Nessa altura Davi olha ao redor e ver os jumentos carregados de alimentos e seus homens famintos querendo comer, quem sabe alguns de seus homens gesticulam e confusos olham pra ele esperando uma palavra, uma resposta. Davi está pensando. 
“Meu senhor, agora não faça este homem vil, a saber, Nabal, impressão no seu coração, porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele, e eu, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste”. 1 Samuel 25:25

5* De certa forma, Abigail vai aos poucos se sentido segura e consegue tocar o coração de Davi a partir do momento em que ela o exalta, reconhecendo e dizendo que o Senhor Javé está com ele e que as guerras que guerreia, são as guerras do Senhor. Ela sente o momento e percebe que essas palavras tocou-lhe o coração. Afinal de contas, Davi era fugitivo e constantemente denunciado ao rei Saul, e ouvi essas palavras de Abigail era realmente prazeroso. 
“Perdoa, pois, à tua serva esta transgressão, porque certamente fará o SENHOR casa firme a meu senhor, porque meu senhor guerreia as guerras do SENHOR, e não se tem achado mal em ti por todos os teus dias”. 1 Samuel 25:28

6* Dona da situação, Abigail oferece a Davi os víveres: pães, vinho, carnes, trigo, passas e pasta de figos. Nessa altura os servos ainda desconfiados entregam os alimentos aos homens de Davi, imagino que a própria Abigail entregou na mão de Davi o odre de vinho, e ainda com o olhar fixo em Davi pede perdão. 
“Então Davi tomou da sua mão o que tinha trazido, e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; vês aqui que tenho dado ouvidos à tua voz, e tenho aceitado a tua face”. 1 Samuel 25:35  “Então Davi disse a Abigail: Bendito o SENHOR Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro’. 1 Samuel 25:32

Se Abigail não fosse ao encontro de Davi com certeza essa bela historia bíblica seria uma tragédia e talvez o nome de “Abigail” fosse sepultado para sempre no anonimato, mas, ela tomou uma atitude que fez toda diferença e ainda hoje, três mil anos depois, seu nome é ovacionado quando se fala de paz e pacificação. Há quem diga que Abigail merece o “Prêmio Nobel da Paz”, entretanto, eu acho que tal prêmio é pequeno demais para Abigail, e ressalto que ela ganhou um premio estupendamente maior, foi ter essa experiência e a sua historia registrada nas Escrituras Sagradas, foi deixar um legado para milhões de pessoas no mundo inteiro. Isso não tem preço!

A história se repete hoje.

Quem sabe você esteja lendo essa matéria agora e dizendo: “meu Deus, eu estou passando por isso que Abigail passou!”. Talvez o seu lar foi transformado ou é um ambiente extremamente conflituoso, onde impera as brigas e as discórdias e essa situação já causou muita dor e sofrimento. Como podemos ver no exemplo de Abigail, a diplomacia requer muito diálogo, humildade, respeito mútuo e renúncia, mas, sobretudo devemos confiar nossas vidas ao Senhor Jesus, confiar e pedir sabedoria para aplacar a fúria de um coração cheio de ódio e apresentar a grandeza de um coração sincero com amor. Devemos aprender que o perdão e uma conversa franca e verdadeira com certeza resolvem muitas coisas do nosso dia-dia, perdoar, compreender e muitas das vezes ceder para que o outro prossiga pode evitar grandes tragédias. Nesse mundo pós-moderno, há quem diga que estou sendo retrógrado ou com baixa-estima, mas, a historia está escrita e não podemos negar que perdoar sai bem mais em conta.

Para finalizar essa maravilhosa historia vamos voltar para a aldeia do Carmel, onde Davi e seus homens já estavam comendo e bebendo com tranquilidade, e a fúria e o ódio havia sido aplacado.   
Diante de tamanha sabedoria e humildade, Davi foi profundamente tocado e enternecido, e para glória de Deus, reagiu com louvor ao Senhor Javé dizendo: “Então Davi disse a Abigail: Bendito o SENHOR Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro”. 1 Samuel 25:32. “E bendito o teu conselho, e bendita tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão”. 1 Samuel 25:33. Aleluia! Davi ficou encantado por ver naquela mulher um conjunto de virtudes e qualidades pertinente a uma grande mulher, e com o coração apaziguado e sem furor abençoou Abigail e despediu-se daquela comitiva em paz e marcado, porque encontrou uma verdadeira pacificadora e conselheira em seu caminho. “O furor do rei é mensageiro da morte, mas o homem sábio o apaziguará”. Provérbios 16:14.
De volta a sua casa, Abigail encontrou uma festa por ocasião da época da tosquia das ovelhas e seu esposo Nabal já embriagado não tinha a mínima noção do que estava para acontecer, e se ele não aceitava conselhos de ninguém quando estava sóbrio, menos ainda embriagado, por isso Abigail manteve-se em silencio e só no outro dia, na manhã seguinte, quando Nabal já estava sóbrio e consciente, ela contou tudo, palavra por palavra ao seu “louco” marido que adoeceu e com dez dias morreu. “Sucedeu, pois, que pela manhã, estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe deu a entender aquelas coisas; e se amorteceu o seu coração, e ficou ele como pedra”. 1 Samuel 25:37.
Observem que Abigail ao voltar para casa não foi discutir com o bêbado, não brigou ou maldisse seu imprestável marido, mas, com sabedoria e paciência soube esperar o tempo e a ocasião certa para falar com aquele rude homem. “O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta”. Provérbios 15:18.
Abigail é um verdadeiro ícone pacificador e nos deixa um legado ultra Cultural influenciando gerações do mundo inteiro. Que possamos aprender com essa grande mulher a prática do diálogo, do respeito e com humildade e serenidade buscar a paz. “Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens”. Romanos 12:18

Fique na graça que é melhor que a vida.

No amor de Cristo,

Cláudio Martucelli.


Plágio é crime! Não copie sem autorização.
Direitos Autorais LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Postar um comentário